Pressupostos:

  • A salvaguarda do património cultural imaterial é um imperativo social de grande relevância;

  • As contradanças e quadrilhas da região duriense têm um valor patrimonial único e de relevo;

  • Estas danças correm perigo de extinção como manifestação espontânea integrada nos bailes populares, uma vez que os mandadores/ marcadores estão a diminuir e os desenhos coreográficos começam a estar cristalizados nos grupos folclóricos que ainda as incluem no seu repertório, perdendo o seu caráter intrínseco.

  • O valor patrimonial das contradanças e quadrilhas é subvalorizado na região e no país.

  • É essencial cartografar e inventariar danças, coreografias, mandos/ marcações e melodias para atenuar o risco de cristalização e progressivo desaparecimento em contextos informais.

Projeto:

O NEFUP – Núcleo de Etnografia e Folclore da Universidade do Porto desenvolveu, em 2019, um projeto de recolha e divulgação das contradanças e quadrilhas da região duriense, intitulado “As contradanças e quadrilhas enquanto património cultural imaterial da região duriense”, com o apoio do programa EDP Tradições. Este projeto tem como objetivos:

  • contactar grupos formais e informais que as dancem;

  • identificar, registar e comparar coreografias, mandos/ marcações e peças musicais;

  • criar canais de comunicação e momentos de partilha entre todos os interessados;

  • proporcionar experiências de contacto e formação;

  • divulgar a contradança/ quadrilha em novos contextos.

 

Área de atuação:

Até ao momento, o projeto abrangeu grupos formais e pessoas de quatro concelhos: Baião, Cinfães, Marco de Canaveses e Resende. Os eventos informais abrangem ainda outros concelhos, do Porto a Évora.

O presente sítio digital é o resultado do trabalho de recolha, compilação e tratamento da informação recolhida durante este ano.